Apneia do sono e gravidez: como melhorar o sono durante a gestação?


Home » Apneia do Sono e Ronco » Apneia do sono e gravidez: como melhorar o sono durante a gestação?
Publicado em: 2 de julho de 2021 às 10:10 Apneia do sono e gravidez

Durante a gestação, é comum que muitas mães sintam bastante sono, e ao mesmo tempo, dificuldades para dormir. Muitos fatores podem estar relacionados com a má qualidade do sono na gravidez: identificar a posição para dormir melhor, os enjoos gestacionais, insônia, ansiedade pela chegada do bebê… e distúrbios respiratórios também!

A Apneia do Sono é um dos distúrbios respiratórios do sono mais comuns entre as mulheres grávidas, porém, muitas mulheres não sabem identificar que elas possuem essa doença, e atrelam a dificuldade para dormir exclusivamente com essa nova fase.

Segundo estudos, para a população em geral, o número de pessoas com Apneia chega a cerca de 93% das mulheres e 82% dos homens, com casos moderados a graves da doença e sem diagnóstico ou tratamento.

Nesse cenário, as mulheres grávidas precisam de ainda mais atenção. É preciso ficar atento a tudo que pode ser prejudicial para a saúde da gravidez, e consequentemente, para a mamãe e para o bebê.

Por isso, siga esse conteúdo, e veja tudo sobre:

– Como identificar distúrbios respiratórios na gestação?

– Como a apneia pode ser prejudicial para a mãe e o bebê?

– Quais tratamentos podem ser feitos durante a gestação?

– 6 dicas para dormir melhor durante a gravidez

Boa leitura!

 

Como identificar distúrbios respiratórios na gestação?

Distúrbios respiratórios do sono (DRS) são doenças que geram alterações na respiração durante o sono, fazendo com que a pessoa tenha dificuldade de manter um sono tranquilo e acordando diversas vezes durante a noite. Entre esses distúrbios, a Apneia do Sono é uma das doenças mais comuns! Estima-se que cerca de 50% da população brasileira não dorme bem, e 30% possui Apneia do Sono.

 

Conheça alguns sinais em que a Apneia do Sono se manifesta:

– Sono agitado;

– Ronco persistente;

– Respiração ofegante como consequência das paradas respiratórias durante a noite;

– Engasgos e sensação de sufocamento durante o sono;

– Dores de cabeça matinais devido à noites mal dormidas;

– Irritabilidade e falta de concentração;

– Cansaço e sonolência diurna; etc.

 

É importante lembrar que o principal sinal para a Apneia do Sono é o ronco excessivo e persistente, mas o ronco também pode estar relacionado com outras causas para as gestantes.

Durante o período da gravidez, principalmente no terceiro trimestre (ou o sexto mês da gestação) o ronco pode ser por conta das alterações hormonais desse período (como a progesterona, que que contribui para que útero tenha contrações na hora do parto mas também pode contribuir para que relaxar a musculatura das vias aéreas e gerar o ronco), o aumento de peso natural e inchaço durante a gravidez ou até mesmo outros distúrbios do sono.

Além disso, a posição em que a gestante dorme também é um fator que influencia a presença do ronco. Dormir de barriga para cima faz com que o peso da barriga torne a expansão da caixa torácica menor, dificultando a respiração. Por isso, dormir de lado é sempre a posição mais indicada para as mulheres grávidas.

Identificar e tratar a Apneia é essencial para a saúde e qualidade de vida, pois a longo prazo e sem tratamento, a Síndrome Obstrutiva da Apneia do Sono (SAOS) pode estar relacionada com a hipertensão arterial, diabetes, problemas cardíacos e outras consequências.

Caso você se identifique com algum desses sinais…

Por isso, caso você se identifique com algum desses sinais, é importante procurar um especialista que possa diagnosticar corretamente através do exame da polissonografia, um exame simples que mede a quantidade de episódios de paradas respiratórias e o nível de oxigenação durante o sono.

Além disso, a consulta com um especialista é essencial para que ele possa indicar o tratamento adequado para a Apneia do Sono, que detecta com precisão a presença ou não da Apneia.

Porém, se você ainda possui dúvidas sobre outros sinais da Apneia em você, faça o nosso teste de probabilidade de Apneia do Sono completamente gratuito e online! O questionário de Berlim foi elaborado em 1996 durante a Conference on Sleep in Primary Care realizada em Berlim (Alemanha) e, em 1999, foi validado para a população geral.

 

Como a apneia pode ser prejudicial para a mãe e o bebê?

As pausas da respiração, os engasgos e os outros sinais da Síndrome Obstrutiva da Apneia do Sono (SAOS) pode trazer consequências podem gerar consequências além da noite de sono mal dormida e ser prejudicial para a saúde da mãe e do bebê durante o período gestacional.

Entre as complicações que podem surgir da SAOS não tratada, estão: baixo peso do bebê ao nascer, parto prematuro, pré-eclâmpsia e o risco de desenvolvimento de diabetes gestacional.

As paradas respiratórias causadas pela presença da Apneia estão associadas ao aumento da pressão arterial, o que deve ser evitado principalmente durante a fase da gravidez.

A Apneia pode estar presente no período anterior à gravidez e ser intensificada com o passar dos meses da gestação, ou ser desenvolvida enquanto a mulher está grávida, por conta do aumento do peso gestacional ou das alterações hormonais que esse período demanda.

Se o caso for o desenvolvimento da doença por conta do período gestacional, os sintomas podem desaparecer após a mulher voltar ao peso anterior à gravidez. Para alguns casos, no entanto, os sinais da Apneia podem persistir. O profissional especializado deve acompanhar e indicar o tratamento adequado em cada período.

 

Quais tratamentos podem ser feitos durante a gestação?

Quando se fala de Apneia do Sono na gravidez, o principal medo das mamães é a possibilidade de ter que passar por algum procedimento cirúrgico. Mas não se preocupe! A utilização de um equipamento que auxilie no tratamento é o suficiente para garantir uma noite de sono mais leve e tranquila.

Entre esses equipamentos, o tratamento com o CPAP é um dos mais indicados para controlar a Apneia do Sono em casos moderados a graves durante a gravidez. Esse equipamento é simples, indolor e não invasivo, e vai contribuir para uma maior qualidade do sono, o que se reflete em noites mais tranquilas, bem dormidas e confortáveis, além da melhora na qualidade de vida e saúde da mamãe e do bebê.

O CPAP fornece um fluxo de ar contínuo no nariz e na boca, através de uma máscara que a paciente utiliza enquanto a mulher grávida dorme, evitando a obstrução das vias respiratórias que a Apneia do Sono pode causar.

 

6 dicas para dormir melhor durante a gravidez

Durante a gestação, uma das queixas mais frequentes é a sonolência excessiva, acompanhada do cansaço na realização das tarefas diárias. Além disso, apesar da sonolência, a dificuldade para dormir e a insônia são bem comuns entre algumas mulheres.

Por conta disso, separamos algumas dicas que podem ajudar a dormir melhor e ter uma boa qualidade de sono nessa fase tão gostosa, e ao mesmo tempo, desafiadora:

 

1. Os cochilos à tarde são bem vindos

Cochilar à tarde é uma forma de diminuir a sensação de sono logo após o almoço, que é tão frequente para as gestantes. Porém, cuidado: o tempo de sono não deve ultrapassar 40 minutos, senão o efeito será revertido e em vez de amenizar o sono, causará ainda mais sonolência. Além disso, se o cochilo for muito longo, poderá atrapalhar o sono durante a noite.

Por isso, é permitido sim a famosa soneca à tarde. Porém, coloque um despertador para que isso não vá te atrapalhar depois! Essas dicas e outras mais estão no último conteúdo postado no blog: “10 mitos sobre o sono que você provavelmente já escutou”. Para conferir, basta clicar aqui.

 

2. Não faça refeições pesadas

Alimentos pesados, muito gordurosos ou em grandes quantidades podem causar a indigestão e fazer com que você tenha mais dificuldade para dormir. Além disso, os engasgos noturnos (um dos sinais da Apneia do Sono), podem se confundir com um mero refluxo decorrente da má alimentação antes de dormir. Além disso, dormir de lado, virada para o lado esquerdo, pode ser um auxílio para o refluxo.

As gestantes podem apresentar mais sensibilidade ao refluxo e aos enjoos (que podem ocorrer não somente durante o sono), portanto, evitar refeições pesadas pode ser uma dica valiosa para essas mulheres.

 

3. Pratique atividades físicas regularmente

Se o seu médico permitir a prática de exercícios durante a gravidez, essa é uma boa dica para melhorar a qualidade do sono à noite. Isso ocorre pelo fato de que atividades físicas contribuem para aliviar a tensão, relaxar e gerar mais cansaço, que consequentemente, pode se refletir em sono.

 

4. Utilize travesseiros para ficar bem acomodada

As gestantes devem utilizar cerca de 3 travesseiros para poder se acomodar bem durante o sono: um para a cabeça, um entre os joelhos e caso queira, um embaixo da barriga para apoiá-la. Além disso, a utilização de um travesseiro anatômico especial para gestantes também é muito bem vindo!

 

5. Preste atenção na iluminação

A iluminação pode ser um fator que ocasiona maior dificuldade para dormir. Se você já possui problemas com insônia, evite a utilização de telas logo antes de dormir: celular, televisão, tablet e outros. Mantenha a iluminação mais escura para criar um ambiente propício para uma boa noite de sono.

 

6. Relaxe!

A gestação traz à tona inúmeros sentimentos que frequentemente levam à preocupação e à insegurança, e esses sentimentos podem contribuir para a insônia e a dificuldade para dormir. Por isso, a principal dica para uma boa noite de sono é: relaxe!

Prepare um ambiente aconchegante: deixe o quarto na temperatura que você gosta, utilize travesseiros, cobertas e, às vezes, aromas que te deixem relaxada. 

Uma massagem relaxante com um creme na barriga ou nos pés (o que reduz a sensação de inchaço), um filme conhecido na televisão só para te ajudar a relaxar, um banho quente, uma conversa descontraída com alguém, uma música calma… Todas essas dicas podem contribuir para aumentar o sono ou o relaxamento.

A fase da gravidez é uma das experiências mais lindas e desafiadoras que uma mulher pode vivenciar. A rotina de cuidados com ela mesma e o bebê, além da periodicidade em exames e consultas médicas são importantes nesse momento.

 

Por isso, não se esqueça de prestar atenção na qualidade do seu sono, pois ele é essencial para a saúde! Se você suspeitar da presença da Apneia, não hesite em procurar o diagnóstico médico e iniciar o tratamento adequado.

A Respire Care possui fisioterapeutas especializadas no atendimento de pessoas com Apneia do Sono e distúrbios respiratórios, oferecendo tratamentos eficazes e produtos associados aos cuidados com a saúde.

Entre os nossos serviços, estão:

– Reabilitação pulmonar;

– Terapia de alto fluxo domiciliar;

– Fonoterapia do sono;

– Psicologia do sono;

– Oximetria Noturna;

– Locação de CPAP, BiPAP e Concentradores;

– Atendimento domiciliar;

– Adaptação e orientação de equipamentos;

– Acompanhamento e emissão de relatórios;

– Venda de produtos associados à respiração e à qualidade do sono.

 

Se você se interessou por esse conteúdo, também pode gostar de:

10 mitos sobre o sono que você provavelmente já escutou

Hipotireoidismo e Apneia do Sono: qual a relação?

Reabilitação Pulmonar: tudo o que você precisa saber 

5 formas práticas para você começar a dormir melhor hoje

 

WhatsApp chat